Saturday, April 1

Antes de ti nunca soube o que era amor. Soube gostar, gostar muito, gostar tanto. Gostar de forma tão intensa a ponto de me esquecer do mundo. Gostar mais do que gostar-me, até deixar de me gostar para gostar apenas de outro. Gostava e achava amar; mas não amava. Sabia gostar, sabia gostar muito. Mas não amar; amar nunca soube - sei-o hoje, contigo. Sei que se ama com o tempo, ensinaste-me um dia. Ama-se com os erros, aprende-se a amar apesar dos erros. Ama-se sem deixar de amar-nos e ama-se a cada segundo mais, mesmo nos segundos em que parece não se querer amar. Ama-se mesmo nas noites frias e nos dias chuvosos; ama-se principalmente nas noites frias e nos dias chuvosos. Ama-se até quando dói, até parar de doer. Ensinaste-me a amar; e amas-me; e eu amo, e amo-te; e ainda estou a aprender e quero continuar; a aprender, e a amar. A amar-te.

2 comments:

Eros said...

Firma-o bem. Este é dos que vale a pena!

Eros said...

P.S. fazias falta por aqui.